Project thumb small open uri20131125 2 xscl7p

ANIKULAPO - DOCUMENTÁRIO SOBRE O MOVIMENTO AFROBEAT

Um projeto de Cinema e Vídeo por Rajão 

Loading
Loading
Loading

Project Description in English below:

Pedro Rajão – rajonder@gmail.com

Meu nome é Pedro Rajão, diretor e produtor do documentário ANIKULAPO. Em 2010, deu-se o início da jornada de entrevistas, viagens e pesquisa que resultaram na afro-anarquia audiovisual, intitulada com o sobrenome de Fela.

O projeto está sendo filmado de forma independente há mais de dois anos. No momento, conto com mais de 30 horas de entrevistas e shows gravados, com nomes do afrobeat e da música brasileira como:

Seun Kuti, Femi Kuti, Baba Ani (Egypt 80´s), Gilberto Gil, Ebo Taylor, Tony Allen, Mulatu Astatke, Orquestre PolyRythmo de Cotonou, Dr.Carlos Moore (amigo e biógrafo do Fela), Martín Perna (Antibalas), Mãe Beata de Yemanjá, Zem Audu (Skatalites), Marcelo Yuka, Mr. Catra, Marku Ribas, Lúcio Maia, BNegão, Letieres Leite, Abayomi Afrobeat Orquestra, Bixiga 70, entre outros.

Já sob edição, ANIKULAPO precisa agora de uma ajuda final, para fechar as filmagens de forma genuína e coerente. A convite de Seun Kuti, vamos para Lagos, Nigéria, onde captaremos o principal material para a conclusão do projeto. Além de estar em contato direto com parentes, amigos, músicos e toda a esfera afrodiaspórica que nos levou a esse chão.

Para quem quiser participar da realização desse filme, estamos preparando uma série de recompensas anunciadas aqui ao lado, bem como as recompensas surpresas que divulgarei durante o próximo mês e meio. Vocês podem acompanhar o desenrolar da campanha e do projeto por aqui e na página no Facebook: http://www.facebook.com/anikulapo.brasil

Sobre o documentário:

O documentário retrata a história de Fela Anikulapo Kuti e sua importância, ainda pouco conhecida no Brasil, enquanto figura de liderança política, discurso revolucionário e de valorização das tradições africanas, panafricanista, músico de criação e produção notáveis, sacramentado como criador de um estilo musical de fortíssima expressão cultural e política: o AFROBEAT.

ANIKULAPO trata do legado de sua música e postura política na Nigéria, além de ressonâncias na África e em todo o mundo, destacando a ligação cultural-espiritual-ancestral entre o Brasil e a Nigéria por intermédio dos escravos Yorùbá, etnia da qual Fela pertencia.

Além da questão de herança cultural étnica, o documentário busca discutir as expressões do ’’afrobeat’’ como gênero músical em constante reformulação e não necessariamente posterior a Fela.

A provocação proposta é abordar as manifestações afrodiaspóricas baseadas no lado de cá do Atlântico como confirmações de que somos irmãos genéticos e espirituais de Fela, conscientes ou não de seu formato musical e discursivo.


The documentary offers a portrait of Fela Anikulapo Kuti, delving into his history, his political significance, and his groundbreaking advocacy for the value of African traditions and Pan-Africanist thought.

Aside from his indefatigable prowess as a composer, producer and militant, Fela is recognized as the originator of a unique musical musical genre, foster to an extremely powerful cultural and political expression: AFROBEAT.

ANIKULAPO focuses on Fela’s musical and political legacy and the expanse of his influence across Africa and the world. It pays special attention the spiritual and cultural link between Brasil and Nigeria through the Yoruba, an ethnic group where millions of Brazilians can trace their roots from slavery, the same ethnicity to which Fela himself belonged. To this day, Yoruba practices and cosmology play a strong role in Afro-Brazilian culture and Candomble. Fela’s music has only added another layer of Transatlantic communication.

The documentary discusses afrobeat as a genre in constant reformation, that rises as a mixture of African-American influences and African concepts. We proposes to analyze the Afrodiasporic manifestations across the American continent as statements of genetic and spiritual brotherhood, with or without the awareness of Fela’s impact musically and discursively.

Loading